Pin It button on image hover

Dias de tempestade interna são mais normais do que as músicas podem nos contar.

Fiquei com medo de perder o velho hábito de escrever que tanto me salvou nesses anos vividos, mas creio que não havia perdido esta dádiva, somente pelo fato de que sei que vou ser extremamente sincera comigo mesma enquanto escrevo, e isto me causou um pouco de pânico, não lido muito bem com o fato de encarar os problemas de frente, eu e o resto do mundo inteiro. Mas nesta tarde a vontade de conversar comigo mesma foi mais forte do que meus receios tolos, passou por cima dos problemas que eu amontoei entre mim e a razão, precisava desesperadamente, entender o que se passa comigo.

E em algum momento da vida você já se sentiu esquecido? Largado por todos aqueles que um dia você chamou de "melhores amigos"? Ou já teve aquela tristeza que não tinha nome, aquela vontade de nunca mais voltar para o trabalho, nunca mais ir para casa, aquele gasto desejo de sumir? Aquela vontade de também ter uma P-38 igual a Leonard Peacock¹? (ainda não consegui terminar o livro, estou com medo de que ele não morra no final)² Nossa! Este parágrafo ficou meio mórbido... Mas em algum momento a vida será, acredite. E dias de tempestade interna são mais normais do que as músicas podem nos contar.

Mas não me culpo, suturei muito mau as ultimas feridas, estava de luto por coisas que ainda não havia enterrado, porque não me permiti chorar, sofrer, ouvir todas as músicas tristes que haviam no mundo, não me permiti uma ultima ligação, nem me livrar de todos os presentes, então sofria por pouco, quase nada, tudo era um motivo para tsunamis, por fora mar calmo, mas por dentro devastada, uma parte de mim me culpava por estar genuinamente feliz em vez de estar de luto. Em vez de me preocupar em não ter recebido aquele convite, de não participar mais das conversas, do velho grupo de amigos...

Sabe, a P-38 não era para dar cabo a vida de ninguém, era só para matar meus medos, e culpas, por seguir em frente, como se fosse proibido, mas não é, viu moça? Você pode continuar feliz mesmo assim ok? Mesmo que a vida das pessoas desmoronem ao seu redor, ou que elas te abandonem, não é proibido você não se sentir tocada por isso tá? Porque nós duas sabemos, que antes não era assim, mas HOJE, HO-JE, nós aprendemos a seguir apesar de, mesmo que.. Não é mesmo? Que haverão tempestades internas, mas que não precisa deixar que chova lá fora, e sim que garoe um sorriso sempre, cabeça erguida, sempre. Agora se abrace, pois só resta você de tudo, de toda aquela vida que você achava real, a única real nesse mundo somos nós, a caneta, o papel, e a alma que escorre pelas letras, que alivia este cansaço que viver se torna às vezes.

¹Leonard Peacock é o personagem principal do livro "Perdão Leonard Peacock -Matthew Quick" "Que no dia de seu aniversário ele sai de casa com uma arma na mochila. Porque é o dia que escolheu matar o ex-melhor amigo e depois se suicidar com a P-38 que foi do avô, a pistola do Reich. Mas antes ele quer encontrar e se despedir das quatro pessoas mais importantes de sua vida: Walt, o vizinho obcecado por filmes de Humphrey Bogart; Baback, que estuda na mesma escola que ele e é um virtuose do violino; Lauren, a garota cristã de quem ele gosta, e Herr Silverman, o professor que está agora ensinando à turma sobre o Holocausto. Encontro após encontro, conversando com cada uma dessas pessoas,ele aos poucos revela seus segredos, mas o relógio não para: até o fim do dia Leonard estará morto."

²Não me leve a mau, é que só lendo para saber o tipo de vida que Leonard levava, e Mtthew soube passar o sentimento de Leonard para quem está lendo, e quando vi já estava torcendo pro plano dele dar certo.


2 comentários:

  1. Gostei do jeito que escreve. Alguns momentos falta um ponto de continuação só para dar uma freada no texto, sabe?! De vez em quando é bom dar uma quebrada no ritmo para a leitura não ficar cansativa.
    Sua facilidade para escrever sobre você e o q sente é apreciável, bacana isso. Continue assim! Uma boa dica para conhecer uma forma boa de escrever é dar uma olhada no site de Sâmia Louise, o www.estoriaspracontar.com.br
    Continue escrevendo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada pelas dicas Vitor! Bom ter sua vista aqui! :D Pode deixar que darei uma olhada assim!

      Excluir